Novelas…

Sua vida me pertence foi a primeira telenovela brasileira da história produzida pela extinta TV Tupi e exibida em 15 capítulos ,de 21 de dezembro a 2 de fevereiro de 1952. Foi escrita e dirigida por Walter Forster, que também protagonizou a história, ao lado de Vida Alves e Lia de Aguiar, formando um triângulo amoroso. A novela também trouxe outro marco importante: o primeiro beijo da TV brasileira, protagonizado por Foster e Alves, transmitido ao vivo. Como não havia videotape, não há registro dessa cena.( Wikipedia)

BOM AMIGO – CAPITULO 1

Débora está sentada à uma mesinha do Café Bistrô, quando Sandra entra esbaforida, toda molhada da chuva, segurando um guarda-chuva quebrado.

“Oi, Débora, tudo bem? Você está aqui faz tempo?”

“Não, cheguei agora. Deixei o André na academia e vim para cá. Você quer um cappuccino como o meu?”

“Ótimo! Sabe tenho trabalhado tanto, estou tão ocupada que não tenho tempo para nada”.

“Sandra, quem trabalha muito pela carreira fica meio desligada da vida normal. Eu estou casada com o André faz um tempão e agora trabalho com ele na nova empresa de aplicativos, bem criativos,aliás, mas este começo está um pouco difícil e ainda tem o MBA que me ocupa duas noites por semana.

“É, toda rotina é meio chatinha!”

“E aí que a porca torce o rabo! Apesar do André ser bem bacana , gosto transar com ele, mas com esta nova empresa, a grana está curta e não dá nem para gente ir jantar em um restaurante legal. Além disso ele chega todo dia depois das 10 horas e não sei, fico meio desanimada”.

“Débora, você tem tudo! Pelo amor de Deus!”

“Acho que só está faltando uma aventura , apesar de você já ter um maridão! Sossega, mulher!”

“Claro, nem pensar! Aliás, você conhece bem o André, afinal você foi já foi namorada dele e o conhece bem!”

“É mesmo! Mas não podia dar certo. Nós dois só trabalhávamos tanto e não tínhamos nem tempo de ter uma prosinha rápida! Viajávamos cada um pro seu lado e quando nos víamos, nem sabíamos onde estávamos”.

“Eu logo gostei do jeitão dele e continuo gostando, mas..”.

“Mas o quê? Você está com jeito de que conheceu alguém!”

“Você não vai acreditar, mas tem um cara. Não rolou nada ainda, mas acho que ele está meio interessado.”

“Quem é o cara?”

“Ele é professor assistente do meu MBA, Carlos. Quer dizer, eu o vejo duas vezes por semana e isso que está me deixado agoniada”.

“Débora, eu acho que você está só um pouco cansada”.

“Mas Sandra, estou bem cheia, pra falar a verdade. Estou achando minha vida um saco!”

“Débora, eu tive um terapeuta que dizia que “sem tesão não há solução”! E se for esse o caso? É uma delícia abraçar, beijar um cara legal e diferente… Mas não sei, não, você com um marido tão o máximo…”

“Acho que estou precisando de alguma coisa diferente, mesmo”.

“Nesse caso é muito fácil bolar um plano. Estou pensando…Olha, em primeiro lugar você abre uma conta no Google com o nome “Bom Amigo”. Aí então você manda um e-mail desta conta para o e-mail do André dizendo que você está tendo um caso com o Professor Ramos”

“Você está louca?”

“Não!”

“San, eu não conheço nenhum Professor Ramos!”

“Dé, também não conheço!”

“Sim mas qual é a jogada?”

“Creio que quando o André receber este e-mail ele vai ficar desesperado e quase que certamente vai confrontar isto com você, não é?”

“É, é bem provável!”

“Bem quando ele vier falar com você sobre este e-mail, você vai ficar muito indignada com a desconfiança dele…”

“San, será que você está certa?”

“Estou, e você, magoada e ofendida se tranca no quarto e o André que vá dormir no sofá da sala. A estas alturas você já combinou com o Carlos que vocês passariam um fim de semana juntos. Na manhã seguinte, ainda com cara de magoada, você passará pelo André puxando uma malinha dizendo a ele que vai para Santa Catarina na casa de sua mãe, e que ele, por favor, não ligue para lá em hipótese alguma”.

“San, de fato, você é muito criativa, mas como já lhe disse mil vezes eu adoro o André, não quero colocar o meu casamento em risco e eu sei que jamais vou seguir este plano maluco”

“Está bem Dé, mas convenhamos que este plano é perfeito, não é?”

Continua dia 10 de janeiro de 2018

Esta novela foi baseada num texto de José Carlos Bicudo e composta por nós dois.

Por Zé Bicudo e Renata Oliva

Compartilhe