Existem várias profissões que têm uma aura brilhante, que muitas e variadas pessoas admiram e veem com consideração. Médicos são reverenciados, enfermeiros amados, e professores, bem , professores são… professores!

Médicos estudam a vida inteira . Querem deixar todo mundo vivo e saudável. Os enfermeiros, também cuidam de pessoas. Um cuidado delicado, um copo de água fresca , uma fruta cortada em pedaços, que nos faz sentir tão bem!

E agora, os professores!

O professor, assim como o médico e o enfermeiro, escolhe livremente a profissão que vai exercer , por alguns motivos: amor ao ofício, meio de ganhar dinheiro, possibilidade de ascender socialmente.

É bacana dizer que somos médicos , que temos uma filha enfermeira, chefe de uma ala pediátrica, que a sobrinha é professora, formada em Pedagogia, cursando uma pós.

Ser professor é importantíssimo, se a carreira for considerada uma profissão importantíssima pela sociedade e pelo próprio professor.

Professor não é coitadinho, mesmo porque pode escolher outra profissão se não estiver satisfeito com esta. Tratam-no, não entendo por quê, como crianças que reclamam do horário puxado, do salário baixo, de que não tem tempo para se atualizar.

Bom, conheço muitos profissionais competentes que estudam à beça, nos fins de semana, à noite, na hora do almoço. Vão ao teatro, exposições , frequentam grupos de leitura. Biblioteca pública, parques, cinemas em associações são atividades gratuitas.

Conheci uma professora de escola pública que dizia que ganhava bem. Até estranhei ao ouvir isso. Ela fazia todos os cursos e testes necessários para poder subir na carreira. Pois é, isso é possível. Dava aulas de reforço, no contra turno. Outras professoras gozavam dela. Diziam que ela era trouxa. Reclamavam de tudo e o salário nunca aumentava.

Falta de professor é um absurdo. Numa classe de alfabetização que eu frequentei, em nove dias, não consecutivos, teve 4 professoras. As faltas eram pelos motivos mais fúteis. Como essas crianças conseguem ser alfabetizadas, não entendo. As que conseguem, para mim, são gênios.

Compara-se muito o nível do desempenho escolar brasileiro a de outros países , estes desenvolvidos. Não acho razoável esta comparação, pois estes países já percorreram um longo caminho para chegar a esse alto nível de desempenho dos alunos. O Brasil é subdesenvolvido na área educacional. Podemos, sim nos comparar ao início do processo que esses países passaram e nos admirar com o resultado sabendo que, seguindo os primeiros passos, chegaremos lá. Temos que começar do começo, olhando para o sucesso futuro, mas tendo a humildade de aprender, desde o início , a construir uma base cultural própria e sólida.

Pensei, então em três passos, para começar esta caminhada. O resultado é rapidíssimo.

Vamos lá!

Para professores :

Faltou, descontou. Não interessa se “pode” faltar. Os alunos não podem ficar sem aula. Todo mundo que falta é descontado, em todas as profissões. Imaginem um médico cirurgião faltar numa operação. Pode?
Como em todas as profissões, todo mundo tem que estudar, sempre. Numa sala, disponibiliza-se rede WiFi . Cada professor leva seu celular, visto que todo mundo tem um. Meia hora por dia, antes de começarem as aulas ou logo depois do término, os professores terão acesso à internet, procurando e assistindo a programas de seu interesse. O que tem na internet é impressionante!
Para diretores: Existem diretores maravilhosos: democráticos, preparados, mas precisariam dedicar todo o seu tempo na escola em que escolheram trabalhar. Não adianta o diretor ser competente porém ausente. É importante para a escola a observação dos professores, alunos, contato com os pais, ajustar o planejamento pedagógico. Período integral, também para os ótimos!
Com trabalho, baseado onde estamos, com o olhar para onde queremos ir e chegar, vamos começar usando caneta Bic e chegaremos lá, usando uma Montblanc !

Compartilhe