Viagens são deliciosas para quem viaja. Para quem ouve relatos de viajantes , os monumentos não são tão bonitos e a comida  não tão gostosa!

Mas o que faz a s pessoas quererem contar , com detalhes, tudo o que viram, o que comeram,  onde é  aquela rua onde tudo é mais barato? E os museus e monumentos? E  Michelângelo , que está por todos os lados?

Acho que descobri o porquê: é que  todas essas coisas nos modificam  por  dentro,  tornando-nos diferentes, e acima de tudo, realmente, com uma visão  mais rica  do mundo e de nós mesmos. Mas o que é realmente bem bacana, é dividir toda essa experiência com uma companheira de viagem, perfeita. Isso mesmo! Tem gente que está sempre bem, que aceita tudo com alegria, que não tem tempo feio . Gente, essa pessoinha existe!

Ela é minha neta, Luli , de 14 anos, que comprou um bichinho  de pelúcia na loja da Disney!  Ah! a adolescência : que frescor! Tudo estava sempre ótimo e passeávamos tanto, que ela até dormiu de pé , no Coliseu, à noite. Voltamos andando, pois não aparecia nenhum taxi ou Uber, que funciona para todo mundo, mas  para mim,  ele não aparecia, nunca!

À tarde, andando,  a gente topou com a Fontana di Trevi, cercada por tanta gente, que nem uma moedinha conseguiria  chegar na água. Iria, sem dúvida, bater na cabeça de algum turista japonês. Comentei com a Luli sobre um filme antigo, com Anita Ekberg e Marcello Mastroianni, em que eles entravam na água da Fonte. E não é que, à noite, vimos, num documentário na TV, justamente essa parte do filme? Que coincidência!  Adorei a lembrança! Mas  Marcello e Anita, que pena, já não estão mais lá!

E essa minha neta que foi pedida em casamento? Esses italianos… Estávamos tomando sorvete na Piazza Navona, quando o moço que trabalhava lá disse:” Depois que a gente se casar, vou dar pra você uma taça de sorvete igual a essa , todas as noites!” Que graça! Se fosse  aqui, ele seria execrado pelas feministas!

E, na última parte da viagem, praticamente estivemos com Trump. As ruas estavam bloqueadas, a segurança fortíssima, e tivemos que sair do táxi, visto que a rua em que estávamos estava completamente parada. Fomos andando, acompanhando o movimento, e quando percebemos  ,estávamos no meio da manifestação contra o Trump, na Trafalgar Square. Demos risada e saímos de lá rapidinho! Só faltou aparecermos no jornal! E isso porque meu genro tinha recomendado para  que não nos metêssemos em   grandes agrupamentos, que era perigoso e que eu deveria cuidar da menina. Já imaginaram? Que responsabilidade! Só faltava essa!

É isso que essa viagem foi pra mim. Estar com uma menina maravilhosa, repartir com ela sarcófagos e picassos, andar pelas  ruas, só olhando para os lados e tomando uma Coca Zero para refrescar!

Compartilhe