Uma executiva chama toda a sua equipe à sala de reuniões na véspera do lançamento de uma importante iniciativa. Eles entram e sentam-se ao redor da mesa. Ela logo diz:
-Tenho más notícias.
-O projeto fracassou espetacularmente.
-Digam-me o que deu errado?”
– O quê? Mas ainda nem lançamos…

Essa é uma técnica criada pelo Gary Klein do MIT, conhecida como um Pre-mortem. Tem esse nome pois os médicos, para examinar as causas da morte inesperada de um paciente, discutem para aprender e aperfeiçoar-se para a próxima vez que surgir um caso parecido. Fora do meio médico é usado para visualizar antecipadamente o que poderia dar errado ou o que vai dar errado, antes dos fatos começarem.

Vamos para o “nosso” Pre-mortem
Maio de 2021.
O medo alterou o mundo no passado e agora não vai ser diferente, o darwinismo tirou o sossego dos crentes, a Aids mudou os relacionamentos, o 11 de Setembro sacramentou o terrorismo.
Esses eventos que o escritor Nassim Nicholas Taleb chamou de “Cisne Negro”, são acontecimentos improváveis que, as pessoas procuram fazer parecer terem sido previsíveis antes desses fatos terem realmente acontecido. O nome “Cisne Negro” foi escolhido por causa dos cisnes negros, que não eram conhecidos até 1627, e todos ficaram espantados quando foram descobertos, por serem “improváveis”. Este fato mudou a percepção humana.
E agora, José?

Pre-mortem da nossa atual sociedade
Maio de 2020
Sem escritório da empresa e suas fofocas, sem lojas físicas, sem cinema, sem restaurante, sem viajar, sem esporte, sem liberdade na ida ao supermercado, praia, shopping, academias etc.

Pós- pandemia
Maio de 2021
Esse vírus ou outro estará por aí e na cabeça das pessoas.
Mais vida em família, mais tempo, mais privacidade, mais comida caseira, mais independência na vida profissional, mais férias internacionais na varanda

E agora , José?
Como você fica diante deste “ Cisne Negro”?
Chorando pelo seu menos ou aproveitando o seu mais?
PAULO BICUDO
Empresário de Comunicação de Alta Tecnologia

Compartilhe