“Aquele que tem porque viver, pode enfrentar quase todos os como …” Nietzsche

Mudanças na rotina de vida de povos de todas as Nações : COVID-19
Árdua tarefa! Em momento inusitado , impôs sua presença .
O isolamento social se fez necessário.

Desde muito cedo aprendemos a viver em sociedade, nos tornando “ser social”
Escolas pedagógicas e psicológicas afirmam que crianças devem frequentar escola , precocemente para sociabilização .A imagem de “ser social” vai sendo introduzida e na idade adulta torna-se uma realidade inegável.

A auto estima e auto imagem se constroem na relação com o outro.

O isolamento social faz emergir significados e imagens do inconsciente . Traz conceitos , preconceitos e tabus como a identificação de algumas doenças mentais e “esquisitices “.
Privar-se da relação com o outro, pode trazer também prejuízos emocionais : frustração ,tristeza, angústia, ansiedade, medo , incertezas, melancolia. Como um caldo efervescente, traz à tona “detritos mentais”.
Sublimação, negação, mudança de humor, aparecem como defesa ao medo, dor e luto. Sintomas psicossomáticos, prejudicam ainda mais o isolamento social.
Momento em que cidades se aquietam e pessoas param, as mentes se aceleram.

Cuidem- se! Cuide de seu interior!

Alguns declaram que o mundo será melhor…
Outros , refazem laços familiares e de amizades .
Todos alimentam esperança !
Mas tudo passará ! …
Não, nem tudo passará !…
Ficará em cada um de nós uma marca deste momento, que terá de ser vivido, com aceitação e maturidade .

Aceitar a frustração do não realizado , sublimar , e aceitar uma nova ordem… “ter porque viver”!

Texto de
Wanira Scilla
Psicanalista

Compartilhe