Algo me fascina em tatuagens. Não sei se a agressividade , se a beleza ou a feiúra , se a ousadia de quem quis e escolheu motivos tão diversos e os cravou tão fundo em sua pele que jamais sairão de seu corpo e de seu pensamento.

Fui observando quem tem tatuagem, quem não tem, e quem eu achei que tinha, mas não tem. Puro preconceito! Que vergonha! Um moço , de cabelo vermelho, que imaginei que era inteiro tatuado, mas não era . Não tinha nenhuma, o cabelo vermelho era apenas trote num calouro de Medicina ! Junto com as tatuagens, fui observar quem são as pessoas que as ostentam, com muito orgulho, mas antes quis saber o que é e de onde veio esta mania de se enfeitar para sempre!

 

 

A tatuagem tem muitos milênios de existência nos corpos humanos e tinha um valor ritualístico. Muitos povos faziam tatuagens em ritos de passagem para mostrar status social, ou mesmo eram feitas em guerras. Em muitas culturas o tatuador era ao mesmo tempo um xamã e um sacerdote. Nesses rituais, as arranhaduras eram práticas religiosas que pretendiam colocar a alma humana em harmonia com as forças sobrenaturais e assim garantir a continuidade da vida depois da morte.

 

Com o passar do tempo, muitas civilizações passaram a enfeitar seus corpos com tatuagens, mas estas eram banidas pelos cristãos , que queriam preservar a pureza da forma humana . Somente os criminosos eram tatuados. Porém, como os guerreiros bretões mais valorosos tinham tatuagens que simbolizavam suas vitórias, os soldados romanos passaram também a gravar suas próprias marcas.

Ao longo de toda a história da tatuagem, os desenhos gravados no corpo sempre foram motivo de polêmica e muitas vezes, foram tratados com preconceito. Hoje em dia, a pele tatuada raramente mostra que a pessoa pertence a um grupo, diferente de tempos atrás, onde quase só os marinheiros ou veteranos de guerra eram tatuados. Agora, os desenhos são muito variados e servem como uma forma de expressão individual.

Foi pensando nisso que eu resolvi perguntar para algumas pessoas tatuadas ou não, por que esta escolha, e quando foi feita. Me interessa saber como é a cabeça de gente que escolhe fazer uma marca perene, indelével, que lhe confere uma personalidade talvez muito diferente daquela que ela estava acostumada a ser e a mostrar. Quando encontrava um amigo meu, inteiro tatuado, ele estava sempre usando camiseta. Um belo dia o vi usando uma camisa social, abotoada do colarinho aos punhos. Não reconheci a pessoa, pode? Será que tatuagem imprime, mesmo, personalidade?

Uma onda do mar, feita junto com uma amiga, marcando um momento de amizade e alegria. Uma linha de Whitman, cantando a si mesmas, naquele segundo em que a escolha foi feita.
Desenhos no braço, que geraram arrependimento. Gente que escolheu, com cuidado, uma a uma de suas tatuagens, feitas em horas marcantes. Obras de arte, que eternizam aquele momento, marcando pensamentos , sentimentos lembrados para sempre. Às vezes o momento fica ali, parado, naquele segundo em que a escolha foi feita.

Curiosidade, renovação, coração partido, novas conquistas, beleza, agressividade, mudança física, marcar um momento, escolhas de motivo, cor e momento ,simbolismo do desenho em si

Fazer ou não fazer?

Muitos são os motivos para se fazer tatuagens, muitos são os motivos para não fazê-las. Os desenhos e cores nos distinguem dos outros. Talvez a gente ache que vamos ficar mais bonitos e atraentes e , sem dúvida muito especiais. Beleza ou distinção, sem dúvida. Diferentes? Ah! Isso já somos desde o dia em que nascemos!

Você sabe quais são as origens da tatuagem? Clique e descubra

Compartilhe