Minha cunhada voltou da Alemanha,  e contou que  quem anda pelas ruas de Berlim pode ver, em alguns lugares nas calçadas,  pequenas placas de latão. Estas plaquinhas se chamam Stolpersteineou Pedras de Tropeço.

Fui correndo atrás da internet e achei um monte de informações..” São memoriais às vítimas dos nazistas– elas lembram de forma sucinta o destino de pessoas que foram mortas, deportadas, que tiveram que fugir durante o regime nazista. Diferentemente de outros memoriais que são gerais, as Stolpersteine são bem pessoais, elas contém informações do tipo “aqui morava” ou “aqui vivia”, o nome da pessoa, a data de nascimento e “foi deportado para …”, “assasinado e a  data”, “humilhado e difamado”, “cometeu suicídio”, etc.

Stolpersteine é um projeto do artista Gunter Demnig.  A intenção do artista foi dar um nome de volta a estas vítimas, que quando presas num campo de concentração eram resumidas a um número. Estas plaquinhas são fixadas na calçada , em frente da última moradia da pessoa perseguida pelos nazitas, seja judeu, de outra minoria étnica como os ciganos ou mesmo alemães que aos olhos dos nazistas tivessem alguma razão para ser discriminado. Elas são colocadas na calçada pois para ler o texto contido nelas, as pessoas precisam se curvar, fazendo assim um curvamento simbólico para estas vítimas. Por causa do nome – pedras do tropeço, o autor foi perguntado por um estudante se as pessoas tropeçariam nestas pedras e ele respondeu “Não, ninguém tropeça e cai, a gente tropeça com a cabeça e o coração”. As placas são incrustadas na calçada, não tem relevo e de fato não dá para tropeçar nelas.” “As Stolpersteine podem ser vistas não somente em Berlim, mas também em centenas de outras cidades da Alemanha e outros países da Europa, como Itália, Áustria, Polônia, Holanda.”  WIKIPEDIA

Memoriais são comuns e importantes em muitas culturas, em diversas épocas. E , de acordo com  a visão de vida, de morte, de vida além da morte, é que esses memoriais se apresentam. No Stolperstein, a placa mostra o nome, isto é , a identidade da pessoa, a data de nascimento, isto é a idade, onde nasceu , onde morava. É portanto uma importância da vida cotidiana e única ,da pessoa.

Essa preocupação, com a vida em suas dimensões, era muito grande já no  Egito Antigo.

Uma das  grandes apreensões  que  um egípcio sentia pela morte era que ele  poderia perder seus laços terrenos e deixar de existir na memória da família e da  sociedade.

 

O esquecimento era, para  ele , uma segunda morte.

Os mortos  faziam parte da mesma  sociedade e poderiam, até mesmo, interagir em problemas  dos vivos. Seus parentes escreviam cartas com  pedidos Por isso as pessoas tinham obrigação de manter as oferendas , de construir e manter as tumbas e suas decorações .

Os egípcios acreditavam que, os mortos poderiam voltar ao mundo dos vivos, se cumprissem alguns requisitos, apresentados aos deuses. Poderiam sair de seus túmulos de manhã e voltar à noite, transformados em pássaros  ou em meio pessoas, meio pássaros.

A preocupação ou medo ou ansiedade a respeito do futuro , leva os seres humanos a pensarem coisas incríveis!

Lembranças da vida terrena, imaginação numa vida futura, sempre uma esperança na vida do Homem,na Terra ou no Céu!

Compartilhe