Na sociedade atual, principalmente nos países mais desenvolvidos e nas grandes metrópoles, é cada vez maior, o número de pessoas que optam por morarem sozinhas. Este fato “ainda” não é visto tanta frequência nas áreas com menor concentração de pessoas, mas com o tempo, certamente esta tendência também ocorrerá.

O quadrilátero, que durante muito tempo, foi o caminho a ser seguido como uma obrigação que era: fazer uma faculdade, ter um emprego fixo, casar-se e ter filhos, está sendo paulatinamente modificado.

No primeiro dos lados deste quadrado temos duas visões diferentes:

-nas classes menos favorecidas representam uma “acessão social”, mas não mais uma “garantia de emprego”;

-nas mais favorecidas, de nada valem, se não senão forem obrigatoriamente acompanhadas de um MBA com um bom domínio de pelo menos duas línguas e um de elevado conhecimento de tecnologia.

Os demais lados deste quadrado sofreram enormes transformações:

-o emprego fixo, aquele onde se ficava por trinta anos, se ainda por alguns é procurado pela garantia que oferece, principalmente, na área dos serviços públicos, que não podem demitir, hoje é bastante desprezado pela maioria dos jovens, que querem não ter vínculos e preferem ser seus próprios patrões.

-o casamento vem sendo paulatinamente substituído pelo “morar junto” ou “namoro em duas casas”, numa clara demonstração de evitar os comprometimentos.

-quanto a ter ou não filhos tornou-se uma opção, além de ser visível o aumento dos “filhos únicos”.

Observa-se que estas mudanças correram no sentido do individualismo.

Assim no rastro desta tendência a indústria foi atrás. Na construção civil, o grande volume de obras hoje, destina-se a imóveis para uso individual. O setor da alimentação aumentou consideravelmente a oferta de produtos com embalagens para consumo individual.

Bem, na contramão de todas estas mudanças, surgiram os PETS.

Porque na contramão?

Porque os proprietários de PETS, na sua grande maioria, são justamente as pessoas que moram sozinhas, ou seja, as pessoas que conseguiram o grande objetivo da sociedade atual, que é de morarem sozinhas!

Ora, isto é uma enorme incongruência, pois a razão do grande sucesso dos PETS é que eles fazem “companhia”. Esta afirmação é voz corrente dos proprietários de PETS, que “indiretamente” estão dizendo, que é preferível a companhia de um animal, do que a de um humano!!!!!

Bem, há uma boa explicação para isto, é porque os PETS não podem cobrar dos seus donos da mesma forma que um humano faria.

São muito elogiados porque eles escutam tudo, o tempo todo e não discordam de nada! Que fantástico!

Os PETS servem para mascarar a dificuldade que as pessoas têm de se relacionar. Por outro lado são tratados como humanos. Já vi alguns com “casaquinhos” e outros com tênis nas quatro patas! Sei até que diversos, dormem na cama com seus donos.

Haja carência!

A coisa está tão louca que a Uber criou o UberPet, ou seja, táxi para cachorros e gatos, e se fez isto, é porque tem mercado.

Os coitados dos PETS são os terapeutas da hora!

A coisa está brava!

O Zé é o mais novo colaborador do Blog Quase Pedagógico! Eu amei!

Por José Carlos Bicudo – jocabics@gmail.com

Compartilhe