A MAIOR MÚSICA POPULAR DO MUNDO

2017 marca 100 anos da primeira gravação em disco com música de jazz. O cornetista Dominic La Rocca e sua banda, oriundos de New Orleans, realizaram em New York a histórica gravação. Uma banda de brancos, bons músicos, mas ainda sem as características marcantes da música negra que iria se impor a seguir.

O Jazz sem dúvida formatou e deu acabamento à moderna música popular norte-americana que é muito maior que ele. No mundo inteiro ela pode ser ouvida. Mesmo em locais onde não se fala inglês e não se conhece ou até se execra sua cultura, as canções são ouvidas e muito apreciadas.

Uma música, verdadeiramente democrática assim como o país, não nasceu “do nada”.

Já no tempo das primeiras levas migratórias para a Virginia no séc. XVII os rudes colonos que lá se instalaram, almejavam uma vida semelhante aos burgueses ingleses, importando instrumentos musicais como alaúdes, violinos, oboés e espinetas para o entretenimento. Mas a música inglesa não foi transplantada para o novo mundo. A música que se ouvia era derivada dos madrigais e salmos cantados nas igrejas, com letras novas que refletiam a nova vida na colônia. Foi na Nova Inglaterra que se formou a primeira escola de canto, uma instituição puritana, que ensinava o canto dos Salmos, dando vazão aos anseios dos peregrinos que consideravam a música como dom do Criador. Por sua vez, os Salmos e as canções foram sendo adaptadas ao público do novo mundo, sendo impressas e divulgadas em toda a região.

Os serviços religiosos semanais fizeram sua parte na formação musical do povo e longe dos ouvidos dos ministros, as canções passam abrigar versos mundanos adaptados às baladas populares e eram apresentadas nos salões.

Abrem-se escolas de canto por toda parte, professores e também compositores passaram a publicar com muito sucesso seus livros. A música como recreação ocupa seu lugar na vida da colônia, nas casas, nos salões e praças.

Após a Guerra da Independência com o incremento do comércio com o Velho Mundo, Companhias de Ópera e músicos profissionais trazendo música europeia, chegam ao novo país, atraídos pelo grande progresso e crescimento. Apresentavam-se muitas vezes com o reforço de “cavalheiros privados”, os músicos locais, com muito sucesso de público. Logo Companhias foram formadas na América e excursionaram por todo o continente.

Nesse ambiente de cultura musical religiosa e mundana, tanto o cancioneiro norte americano quanto o público desenvolveram e amadureceram seu próprio estilo e gosto com temas nacionais e regionais, agora com as influencias europeias e depois africanas.

A música popular norte americana fundiu a ópera à música popular e à dança criando a comédia musical. O fonógrafo, depois o rádio e a TV, levaram essa música à intimidade de todos os lares americanos. Isso proporcionou a consolidação de um grande público para a música, formado por ricos e pobres, jovens e velhos, analfabetos e letrados, nas cidades e no campo, todos tendo em comum a apreciação à música de boa qualidade.

Para ilustrar esse texto convido-os a ouvir dois exemplos da musica popular norte americana do séc. XIX compostas pelo muito incensado Stephen Foster 4/7/1826 – 13/01/1864

https://www.youtube.com/watch?v=I_SyJ-yxU30 Slumber my Darling

https://www.youtube.com/watch?v=uv2AcfmvIuw Hard Times Come Again no More

José Roberto Rocco Jr, é administrador, especialista em Planejamento , músico de várias correntes e também de jazz, sua paixão. É baterista desde o início de sua vocação musical. Atualmente apresenta o Programa “Estação Jazz”, na Web-Radio www.radiogeek.com.br às quartas-feiras, às 20:00h.

Compartilhe