Tive uma vizinha de parede-meia que era  um doce de pessoa. Mas  a gente conversava pouco, já que, com filhos pequenos, tínhamos a vida atribulada, sem tempo para nada. Mas um belo dia, um cano da nossa parede em comum estourou. Os encanadores fizeram um buracão. E aí, somente aí, passamos a conversar todos dias! Precisamos de um buraco na parede para colocarmos nossos assuntos em dia!

Fui à missa de 30º dia dessa querida, no Santuário de Nossa Senhora da Salette, em Santana.

A pedra fundamental deste Santuário foi lançada em 1952, depois de terem sido  realizadas várias missas campais. Foi realizado, assim o desejo que o  padre Clemente Henrique Moussier  teve , desde que chegou ao Brasil, no começo do século XX, quando assumiu a Paróquia de Sant’Ana. O lugar era pobre, na época.

Nossa Senhora da Salette é o nome dado à Maria nas suas aparições na montanha de La Salete, Isère, nos Alpes franceses, numa explicação bem católic

Me interessei pelo bairro.

Este  bairro surgiu em  1782 ,na Fazenda de Sant’Ana, propriedade da Companhia de Jesus, funcionou como o cinturão verde da “São Paulo dos Campos de Piratininga”.  As terras da fazenda foram divididas em sesmarias no início do século XIX, quando já aparece um traçado de ruas e as casas ficavam ao longo de algumas dessa ruas. Santana se integrou à Metrópole , no século XX  e  , com o desenvolvimento e avanços da infraestrutura ,o bairro se transformou em um polo comercial importante da cidade .Muitos prédios  foram construídos por causa do  grande aumento da população.

O bairro é muito desenvolvido!

Aliás, eu já tinha estado lá, no Arquivo Público do Estado de São Paulo, levando uma carta do meu avô,  documento histórico da Revolução de 32. Depois de restaurado, decidimos doá-lo para,  ao invés de deixá-lo, sozinho, empoeirando numa prateleira,  tornar-se  objeto de pesquisa. Soube , então, que o Arquivo estava montando um departamento de documentos do cotidiano das   famílias paulistas. Imaginei a história sendo  contada por pessoas comuns, que tinham uma vida normal. Quer dizer, vai dar para entender o que se passou através de uma visão do dia-a-dia! Minha neta ,  Carol, representando minha mãe, que era dona do documento, foi entregá-lo. Foi bom vê-la tão patriota! Afinal, São Paulo merece.

O Arquivo Público do Estado de São Paulo possui um acervo riquíssimo, formado por, aproximadamente, 21,5 milhões de documentos e imagens, uma grande coleção de jornais e revistas e uma  biblioteca formada aproximadamente por  45 mil volumes.  É muito bem cuidado e pode ser consultado por qualquer pessoa, gratuitamente, tanto  na sede do Arquivo como pela internet.

Para se  chegar ao Arquivo, a gente passa pela Praça Campo de Bagatelle. O nome da praça foi dado , em 1973 ,em homenagem ao centenário de Santos Dumont,  que fez seu primeiro voo com o 14 bis, num campo em Bagatelle, Paris, em 1906. Ainda fazendo parte dessas comemorações, foi inaugurada uma réplica do 14 bis, bem no meio da praça, longe da avenida  Por isso é difícil o avião sair nas fotos! Pena, porque ele é uma belezinha!

E esta justa homenagem ao extraordinário homem que foi Santos Dumont, está lá, neste bairro moderno, que teve uma história típica dos bairros e cidades do Estado de São Paulo

Fontes: Wikipédia, a enciclopédia livre | Santana (bairro de São Paulo) | Arquivo Público do Estado de São Paulo | Nossa Senhora da Salette | www.cidade de saopaulo.com/sp/br

Compartilhe